Saúde auditiva infantil: saiba como detectar se o bebê não escuta bem
22 de junho de 2018
Aparelho auditivo e o processo de adaptação em idosos
7 de agosto de 2018

Cada vez mais adolescentes estão sofrendo com a perda auditiva precoce.

Sabemos que a perda auditiva tem grande relação com o avanço da idade, e este fato fica mais evidente quando analisamos uma pesquisa da Organização Mundial de Saúde (OMS). Tal estudo aponta – e comprova – que um terço dos idosos com mais de 65 anos sofrem com este problema e que a deficiência atinge, aproximadamente, metade da população com mais de 75 anos. Mas então porque cada vez mais adolescentes estão sendo diagnosticados com a doença?

Recentemente, esses diagnósticos estão preocupando médicos e fonoaudiólogos de todo mundo, afinal, até uma pesquisa realizada pelo Departamento de Saúde da Cidade de Nova York revelou que uma em cada quatro pessoas – com idade entre 18 e 44 anos – que costumavam ouvir música alta em fones de ouvido possuem uma perda auditiva esperada para 60 anos.

Claro que este não é a única explicação para o surgimento da deficiência auditiva em adolescentes, pois existem muitas outras variáveis, como doenças, a predisposição genética e até traumatismos encefálicos, mas não podemos ignorar o fato que a exposição excessiva a ruídos sonoros elevados é a principal causa.

Impacto negativo

O período da adolescência, dos 12 aos 18 anos, é um momento turbulento na vida de qualquer jovem e adicionar um problema de audição pode acarretar consequências negativas na qualidade de vida do adolescente, como problemas de isolamento, solidão e frustração. Ao mesmo tempo, é comum que a deficiência influencie negativamente questões econômicas, como escolhas vocacionais e socialização.

Como prevenir a perda auditiva em jovens?

Visando o caráter preventivo diante da perda auditiva e, automaticamente, a respeito do uso do aparelho auditivo, a Sonoraweb promoveu uma lista de ações que podem – e vão – ajudar com o resguardo da audição. Entre elas estão:

  • Manter o volume dos dispositivos pessoais de áudio em níveis seguros;
  • Utilizar protetores auriculares ao visitar ambientes com som alto ou diminuir a exposição à níveis sonoros exagerados;
  • Utilizar fones de ouvido de excelente qualidade em um volume mais baixo;
  • Prefira ouvir músicas em locais mais silenciosos, pois ambientes movimentados estimulam as pessoas aumentarem o volume.

Porém, em casos já irreversíveis, a Sonoraweb indica tanto a utilização de um dispositivo de qualidade, bem como a bateria para aparelho auditivo, pois o acessório é indispensável para o bom desempenho do aparelho. Boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mostrar
Esconder